Participantes

Bruno Moreschi e Cristina Garrido

Bruno Moreschi (1982, Maringá, Paraná / São Paulo, Brasil) e Cristina Garrido (1986, Madri, Espanha)

A memória é uma ilha de edição?

Waly Salomão

 

Em THIS IS ART NOW & ART BOOK – Se é incrível no mundo das artes, está nestes livros, neste seminário, nesta parede e nesta trienal, a dupla de artistas Bruno Moreschi e Cristina Garrido nos colocam frente a questões muito importantes e debatidas na historiografia moderna: quem são os agentes construtores da História? Quais aspectos definem a inscrição de um acontecimento, ou de um personagem, nos livros de História? Quem detém o poder de selecionar o ponto de vista sobre determinado momento histórico? Quais são as relações entre a ficção e a realidade na construção de fatos históricos? Articulando esses questionamentos a partir da utilização — e da subversão por meio da ficção — de dispositivos e de aparatos tradicionais de apresentações/exposições da produção da História, a dupla intervém diretamente nos espaços físicos e ideológicos de Frestas. Ora editando livros enciclopédicos sobre a produção de importantes (e, ao mesmo tempo, desconhecidos?) artistas contemporâneos, ora organizando um seminário dúbio, que acontecerá durante a programação da exposição e contará com críticos de arte, pelo menos um ator e os próprios artistas em um momento em que o tema do projeto vira experiência. Bruno e Cristina nos convocam a olharmos mais atentamente para todas as camadas que articulam a escritura da História da Arte, conduzindo-nos a questionar a todo o momento a própria exposição que abriga as suas intervenções.

 

Is memory an island of editing?

Waly Salomão

 

In THIS IS ART NOW & ART BOOK – If it’s hot in the world today, it’s in these books, this seminar, this wall and this Triennal, the artist duo Bruno Moreschi and Cristina Garrido confronts us with very important questions in the debate concerning modern historiography: Who are the agents that construct history? What aspects define the inclusion of a happening, or a character, in the history books? Who has the power to select the point of view in regard to a determined historical moment? What are the relationships between fiction and reality in the construction of historical facts?
Articulating these questionings based on the use – and subversion through fiction – of the traditional devices and apparatuses of presentations/exhibitions for the production of history, the duo intervenes directly in the physical and ideological spaces of Frestas. In their encyclopedic books about the work of importants (at the same time unknown?) contemporary artists, and in a dubious seminar, that will take place during the exhibition’s program and will have the participation of art critics, at least one actor and the artists themselves in a moment in which the subject of the project becomes experience. Bruno and Cristina invite us to look more attentively at the layers that articulate the writing of the history of art, leading us to constantly question the very exhibition that hosts their interventions.


Jaime Laureano

Obras do artista